6.10.09

Seres de Luz - Parte 1 de 2

Era uma noite escura e chuvosa. De manhã cedo o calor era intenso, o que fez com que Johanna descesse até a rua para aproveitar as gotas frias. As luzes acesas dos postes davam a tudo um ar fantasmagórico.
Johanna era alta e forte, com o corpo curvilíneo e a pele morena. Parou de pé na calçada, com os braços estendidos para o céu. A chuva molhava seu rosto e escorria-lhe pelos cabelos, colando-os nas costas.
Subiu meia hora depois, molhando o hall de entrada. Secou-se e se acomodou no sofá em frente à tv ligada. Pegou o cachorro, que tremia ao barulho dos trovões, e o acolheu perto de si, em meio as almofadas.
Foi a primeira vez que aconteceu. A luz da sala falhou, junto com a imagem da tv, que desligou segundos depois. Johanna pegou o controle e a ligou novamente. "Está chovendo", pensou. "É normal que a tv falhe numa chuva tão forte".
E a chuva piorava a cada minuto, batia na janela com a força de punhos. A luz falhou mais duas vezes. Eram 5 da tarde, e tudo se apagou.
Johanna não se importou muito. Deitou-se no sofá com o cachorro enrolado aos seus pés e dormiu.
Acordou uma hora depois de um sono pesado, embalado pela chuva. Com os olhos ainda colados, se arrastou até seu quarto para ligar o computador. Não ligava.
A casa já estava toda iluminada por velas. Uma na cozinha, onde Dona Santa trabalhava no jantar, uma no chão do corredor, uma no quarto de seu irmão doente e uma no banheiro.
Johanna não se deixou abalar. Sentou-se no chão do corredor e começou a brincar com a vela, colocando e tirando o dedo da chama para fazer uma dança de luzes e sombras. Depois, começou a fazer animais com as mãos, refletidos nas paredes. Por último, pegou a cera quente que escorri e fez mascaras para todos os seus dedos. Duas vezes. Ela começou a ficar tensa. Já era a segunda hora sem luz, e começava a ouvir vozes. Vozes nas paredes, no teto, no chão. Vozes saindo do fogo.
Começou a andar sozinha pela casa, batendo as mãos e falando alto. Quem quer que estivesse escondido, iria aparecer.

4 comentários:

  Giovanna Buono disse...

muito bom o texto. Estou anciosa para a segunda parte!

esdras disse...

Mais uma do enorme e criativo baú de Alice. O que virá por aí? Me avise quando publicar o desfecho!
bjo

Justine disse...

Clima de tensão muito bem conseguido. Vamos esperar para ver o que dá...:))

Túlio Moura disse...

BÚÚÚÚ. era eu! brimks. espero que tenha uma continuação ok? se não tiver axo que te mato!